quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Intel anuncia Project Alloy, headset de realidade virtual independente



A Intel anunciou o Project Alloy, um headset de realidade virtual independente: ao contrário de um Oculus Rift ou Gear VR, o equipamento não vai depender de um PC ou smartphone para funcionar. Totalmente sem fio, o dispositivo funciona isolado, possuindo seu próprio processador e sistema operacional embarcados.

Bastante completo, o headset da Intel possui sensores e câmeras que ajudam a mapear o ambiente em que o usuário está, fornecendo recursos para situações de maior nível de imersão em um jogo, ou app que explore a realidade virtual e aumentada.

Project Alloy mistura realidade virtual e aumentada num único dispositivo (Foto: Divulgação/Intel)
O Project Alloy apresenta compatibilidade com o ambiente gráfico holográfico do Windows, desenvolvido pela Microsoft para dar suporte ao HoloLens. O recurso aponta para uma preocupação da Intel com a realidade aumentada.

Na demonstração, um usuário caminhou em um palco usando o headset enquanto, ao mesmo tempo, andava por um cenário virtual. Ao fim do percurso digital, havia uma porta: para abri-la, era preciso esticar a mão e fazer um gesto, captado pelos sensores do dispositivo e usado para abrir a porta virtual.

Project Alloy, completamente independente de PCs e celulares, conta com um conjunto de sensores que podem contribuir para a criação de experiências mais imersivas em realidade virtual e aumentada (Foto: Divulgação/Intel)



Project Alloy conta com sensores que contribuem para experiências mais imersivas (Foto: Divulgação/Intel)

Antes de ser um produto da Intel que você vai comprar em uma loja, o Alloy é uma plataforma de desenvolvimento. A ideia é que outros fabricantes usem o molde para desenvolver seus headsets com a tecnologia, desde hardware, levando em conta processadores e etc, até software, tendo em vista APIs e outras ferramentas de desenvolvimento.

A expectativa é que os primeiros produtos da base criada pela Intel sejam comercializados a partir de 2017.

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário