segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Janela de Cinema 2017: Comédia francesa Jovem Mulher surpreende e vence o festival



Neste domingo, 12 de novembro, foram anunciados os vencedores do X Janela Internacional de Cinema do Recife. Entre uma dezena de filmes ousados e inventivos, o júri decidiu premiar o menos ousado e menos inventivo da seleção: Jovem Mulher, comédia francesa dirigida por Léonor Serraille sobre uma mulher se recuperando de uma ruptura amorosa. ADVERTISING Entre os curtas-metragens, o vencedor foi Deus, retrato de uma mulher negra da periferia, dirigido por Vinícius Silva. Descubra a lista completa de premiados: Mostra competitiva de longas-metragens Melhor longa: Jovem Mulher, de Léonor Serraille Melhor montagem: Que o Verão Nunca Mais Volte, de Alexandre Koberidze Melhor som: A Fábrica de Nada, de Pedro Pinho Melhor imagem: As Boas Maneiras, de Juliana Rojas e Marco Dutra Menção especial: Baronesa, de Juliana Antunes Mostra competitiva de curtas-metragens nacionais Melhor curta: Deus, de Vinícius Silva Melhor imagem: Travessia, de Safira Moreira Melhor montagem: Pele Suja, Minha Carne, de Bruno Ribeiro Melhor som: Nada, de Gabriel Martins Menção especial do júri: Nada, de Gabriel Martins Menção honrosa (pelo fim da cordialidade): Experimentando o Vermelho em Dilúvio II, de Michelle Mattiuzzi Mostra competitiva de curtas-metragens internacionais Melhor curta: La Bouche, de Camilo Restrepo Melhor imagem: Pussy, de Renata Gasiorowska Melhor som: Impossible Figures and Other Stories II, de Marta Pajek Melhor montagem: Borderhole, de Amber Bemak e Nadia Granados Prêmio Janela Crítica Melhor curta nacional: Travessia, de Safira Moreira Melhor curta internacional: La Bouche, de Camilo Restrepo Melhor longa: Era Uma Vez Brasília, de Adirley Queirós Menção honrosa: Pele Suja, Minha Carne, de Bruno Ribeiro Prêmio ABD Deus, de Vinícius Silva Menção honrosa: Travessia, de Safira Moreira Prêmio Portomídia O Olho e o Espírito, de Amanda Beça Prêmio Canal Brasil Experimentando o Vermelho em Dilúvio II, de Michelle Mattiuzzi Prêmio FEPEC Melhor filme para reflexão: Deus, de Vinícius Silva Menção honrosa: Experimentando o Vermelho em Dilúvio II, de Michelle Mattiuzzi Prêmio ABRACCINE Melhor longa-metragem da mostra competitiva: Que o Verão Nunca Mais Volte, de Alexandre Koberidze Prêmio João Sampaio para filmes finíssimos que celebram a vida 66 Cinemas, de Philipp Hartmann
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário