quarta-feira, 25 de julho de 2018

CEO da PUBG Corp. anunciou mudanças durante coletiva de imprensa



O PUBG Global Invitational 2018 ainda não começou, mas os fãs do battle royale já podem esperar muitas novidades para o cenário de eSports. Durante uma coletiva de imprensa realizada em Berlim nesta terça-feira (24)*, Changhan Kim, CEO da PUBG Corp., afirmou que o game terá um um novo modo espectador, um plano de cinco anos para o futuro do eSports com apoio financeiro para equipes, além de ligas regionais profissionais.

Imagem: Barbara Gutierrez

Imagem: Barbara Gutierrez

Imagem: Barbara Gutierrez

Ligas regionais amadoras e profissionais


De acordo com Kim, 2018 tem sido o ano para a empresa focar em desenvolver um cenário sólido de eSports em PUBG. Para isso, serão criadas ligas regionais amadoras (incluindo campeonatos universitários, femininos, entre outros) e profissionais (com sistema de promoção e rebaixamento) em conjunto com organizações de torneios que trabalharão como parceiras externas de acordo com cada região.

Por enquanto, a desenvolvedora não tem planos para trazer um campeonato profissional regional para a América do Sul, apenas para Coreia, China, América do Norte e Europa.

Além disso, o torneio mundial, o próprio PGI, será realizado sempre pela PUBG Corp. no final do ano - entre novembro e dezembro -, com a participação das melhores equipes de todo o globo, selecionadas através de qualificatórias e das ligas profissionais.

 Novo modo espectador


Também há boas notícias para os fãs que acompanham apenas suas equipes preferidas durante as partidas. A partir do PGI, o formato de transmissão dos campeonatos contará com um comentarista para cada time.

De acordo com Richard Junghyun, diretor de marketing da PUBG Corp., a empresa queria oferecer um sistema de multiview para os fãs, já que eles não conseguem assistir todas as equipes de um torneio, porque a transmissão principal mostra apenas os times que estão indo melhor na partida.

“Pensamos em como melhorar isso e chegamos à conclusão de deixar um feed para cada equipe e um caster que comenta essa partida, para oferecer o multiview”, disse Junghyun.

Imagem: Barbara Gutierrez

“Agora, cada uma das 20 equipes de cada região que estiverem aqui no PGI terá um observador que vem de sua própria região. Por exemplo, o time coreano terá uma transmissão própria com um comentarista coreano. Cada um pode ver sua própria equipe, ouvindo sua própria língua”, completou o diretor de marketing.

Imagem: Barbara Gutierrez
5 anos para desenvolver o cenário

A estratégia de crescimento do cenário de eSports do PUBG conta com um plano de cinco anos. De acordo com o CEO Changhan Kim, 2018 é o ano utilizado para desenvolver a base das competições, enquanto 2019 e 2020 servirão para solidificar o cenário. Por fim, em 2021 e 2022, a empresa quer fazer o circuito competitivo crescer, alcançando cada vez mais potencial.

A PUBG Corp. pretende investir em um sistema de apoio financeiro aos jogadores profissionais e suas equipes através de bolsas de prêmios, produtos (como agasalhos personalizados de cada time) e conteúdos dentro do game (skins) que serão vendidos e terão suas receitas divididas com os players.



O PUBG Global Invitational acontece entre 25 e 29 de julho, em Berlim, na Alemanha. O campeonato contará com 20 equipes e premiação de US$ 2 milhões.

A equipe que representará a América do Sul no torneio é a Savage eSports, que venceu a qualificatória regional para o torneio.

Via: vs.com.br
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário